Keblinger

Keblinger

Onde os medos cabem?

| sábado, 4 de dezembro de 2010

Tenho alguns medos que não cabem em mim, outros não cabem nas minhas palavras e os medos que restaram não cabem em si mesmo. Tenho medos, mas não deixo que eles fiquem caídos rasgando o que há em mim... (Suzana Martins)

...que os medos nossos sejam apenas pontes a nos levar ao destino... pontes que saibamos transpassar... medo transpassado... (Flávia Braun)

Medos leves 
se encarregue de voar, 
sem medo,
para bem longe do luar... (Suzana Martins)

...medo voa....
medo vai-te
pr'outro lugar 
bem pra longe
quero voar leve como pluma
sem teu peso levar... ( Flávia Braun)

Vai medo, vai para longe
embarca nessa nuvem 
que chove aonde 
os meus olhos não podem chorar. (Suzana Martins)

Nuvens carregadas
De tantas tristezas
Vão para longe
Com o vento
E que esse carregue o medo
Pra bem longe dos meus olhos... (Flávia Braun)

Rasgo o medo, jogo pelo vento, fecho os olhos porque sei que ele voa longe... (Suzana Martins)

Medo do mundo mudo em que revivo sentimentos sem rumo. Eles sabem de mim, eu escondo minhas fugas. Sou luar sem estrelas na viagem do medo que renego. (Du)

...essa viagem me leva
mas eu retorno
leve como a pluma
do sonho renovado... (Flávia Braun)

Tenho medo de sentir medo, medo de parar de sonhar... Rasgo o excesso do medo e pelo com o vento vou voar. (Suzana Martins)

...e a alma fica leve, como a nuvem de algodão, que pode ser doce, só depende da coragem de provar... Eu só tenho medo do tempo que eu sei que um dia não terei. Rasgo meu coração em pedaços de cetim, pra que sobrevivam em mim, ao medo que eu tenho de mim... (Du)

...medo despedaçado
levito em mim
novamente feita de algodão. (Flávia Braun)

Medo que se desfaz no doce do ser, que some quando enfrento o meu querer... Doce feito algodão doce... (Suzana Martins)

‎...em mil partes me reparto, pra que o medo vá embora, como num retrato antigo que trago no peito, a tingir de anil, esse medo vil... (Du)

Enfrentando os medos
Eles se vão
como nuvens, carregadas
pela minha grande paixão
a vida que vem
de novo me buscar. (Flávia Braun)

...trazendo alento aos corações atentos... (Du)


Fique atento aos seus medos. Não tenha medo. (Simone Brichta)

...não tenhamos medo!(Rita Schultz)

“Nosso grande medo não é o de que sejamos incapazes. Nosso maior medo é que sejamos poderosos além da medida. É nossa luz, não nossa escuridão, que mais nos amedronta. Nos perguntamos: “Quem sou eu para ser brilhante, atraente, talentoso e incrível”? Na verdade, quem é você para não ser tudo isso? Bancar o pequeno não ajuda o mundo. Não há nada de brilhante em encolher-se para que as outras pessoas não se sintam inseguras em torno de você. E à medida que deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo”. (Discurso de posse, em 1994) Nelson Mandela.

4 comentários:

{ Du } at: 4 de dezembro de 2010 14:18 disse...

E vocês, poet'amigos leitores... do que vocês tem medo?

{ Suzana Martins } at: 4 de dezembro de 2010 16:07 disse...

Ah nossos cansados medos. Medos que voaram pelas letras. Medos que se foram ou que se escondem!!!

Delícia!!!

Beijos

{ Adriana } at: 5 de dezembro de 2010 19:38 disse...

Tenho medo de ter medo...

AMEI o post!!!!

Bjs!

{ Lica Richa. } at: 6 de dezembro de 2010 10:43 disse...

.

¨medo de ter medo de ter medo¨...

.
.
.

O blog está uma delícia! Parabéns!
Beijos! Lica.

 
Customizado por Dulce Miller

Copyright © 2010 Nostra Dolce Vita