Keblinger

Keblinger

No Silêncio Do Poeta

| quinta-feira, 20 de janeiro de 2011



Mesmo o mais calado dos poetas, de silêncio em silêncio, vai deixando suas pegadas.( Rita Schultz )

Nos olhos guarda as palavras não verbalizadas, no peito a intensa parte mais doce da alma e pela estrada seus rastros versantes de asas. ( @monicacompoesia )

No silêncio que fala por dentro, entre vias do eu comigo. ( Simone Brichta )

Em estradas de sonhos o poeta cheio de enganos corre apagados riscos da falta da palavra para expressar o sentimento que faz do seu peito acolhedor abrigo ( @monicacompoesia )


E em silêncio. ( Rita  Schultz )
E de amor ( @monicacompoesia )


Pegadas que levam ao mundo de sonhos e de viagem interior. De alma aberta, o poeta desperta..
( Flávia Braun )


...com seu olhar sonhador para o sabor que cada palavra desperta no céu da sua boca de anjo verseador.( @monicacompoesia )


E , tal qual anjo, veste suas asas e voa infinito no intervalo dos versos. ( Flávia Braun )


Essas poetas vão deixando suas pegadas por onde passam. E passam perfumando o verão! ( Rita Schultz )


O doce aroma das letras nos invade o coração, gostamos de irradiar essa luz e de dar passos na areia da imaginação. ( Flávia Braun )


Nos embaralhamos poeticas de versos luas cheias emoção, enredadas nas estrelas fazemos das letras traços de descobertas, alicerces de almas em reconstrução, desenhamos com palavras nosso amor e toda paixão. Despidas expomos nossa poesia interativa de coração. ( @monicacompoesia )


A interação poética é corrente de amor e união, transforma nossos versos em sementes que plantamos e partilhamos com olhos e almas ávidos por letras liberdade... ( Flávia Braun )

E, nos passos dessa areia, nas estrelas desse chão, vão seguindo essas palavras, caladas, atadas na imensidão. ( Rita Schultz )


O silêncio vai deixando rastros de poesia. Uma intensidadde vivida por dentro, uma palavra que hesita produz poesia. O poeta habita o lugar do indizível. Aquilo que remexe, fervilha e não tem nome ganha corpo na obra do poeta. O silêncio é mão que desenha os sentimentos.  ( Glória Diogenes )

As mãos do poeta dedilham de silêncios a macia forma que dá corpo à poesia ( Manuel Pintor )

6 comentários:

{ Du } at: 20 de janeiro de 2011 21:39 disse...

Só uma palavra, pra não dizer que fiquei sem elas... LINDO!

{ Suzana Martins } at: 20 de janeiro de 2011 23:53 disse...

Em silêncio acompanhei os belos versos sendo recitados...

Perfeito!!!

Beijos, meninas!1

{ Cristian } at: 21 de janeiro de 2011 22:04 disse...

Olá..

Uau.... que interessante isso aqui!

Nunca vi coisa parecida.

Adorei!

Até logo
Bjks

{ simone } at: 22 de janeiro de 2011 02:45 disse...

Cada linha do poema é um mundo que interage entre palavras.

{ rita schultz } at: 23 de janeiro de 2011 14:08 disse...

Em cada interação da vida, um poema!

{ Paulo } at: 24 de janeiro de 2011 23:38 disse...

O mundo é repleto de poetas...

 
Customizado por Dulce Miller

Copyright © 2010 Nostra Dolce Vita