Keblinger

Keblinger

Concebendo a Poesia

| sexta-feira, 21 de janeiro de 2011




A estética do corpo respinga na alma. A alma fala do corpo que resmunga. A arte comunga corpo e alma. E fecunda. ( Simone Brichta )

Fecunda, gesta e faz parir versos que precisam vir ao mundo. São os alicerces da obra que nasce... ( Flávia Braun )
.
... no ventre da palavra recria arte. ( @monicacompoesia )

Poeta dá a luz ao seu próprio amor, à sua própria vida. Cria e se recria. ( Flávia Braun )


Poeta que cria vida em forma de poesia, que recria fantasia, que sucumbe aos poderes de palavras, sentimentos e... reticências. ( Du )


A criação toma forma, vida e respira. Os versos fogem das mãos do poeta, que, maravilhado, se deixa junto libertar. ( Flávia Braun )


Liberdade respirando com asas que fazem voar, que fazem sonhar... escrever com amor é desenhar a vida.( Du )


Aprisionado imperfeito traz o poeta no peito o sagrado misterio de versear. Liberto se entrega a voar amar. Beija em sonhos sedento o que se deseja luar. Desliza palavras levemente pela pele alva solar. Sedutora é sua arte de poetar. Em céu papel revela nu o seu olhar. ( @monicacompoesia )


Em seu olhar poesia enxerga a vida em suas nuances, exala e desagua nas lágrimas versos o amor pelo seu concepto... ( Flávia Braun )


Versos chamuscados, respingados de mistérios, papéis amassados ou jogados ao vento, esperando o tempo certo de conceber poesia, como num ventre sagrado, seduzido pelo tempo de dentro. ( Du )
 
O tempo é inesperado, a concepção é criação , incerta de seu nascimento... quando vêm ao mundo-poesia, tudo se faz, é sagrado segredo revelado. ( Flávia Braun )


Segredo, sagrado, revelado... fez-se magia, fez-se poesia! ( Du )

Profano, secreto, mágico, encantado. Fez-se corpo, deu-se verso, ousou ser traço no poético da cumplicidade do meu abraço.( @monicacompoesia )


Poema-concepto é entregue ao mundo... voa liberdades em céus de olhos marejados de lágrimas-coração. Poesia é tentação... ( Flávia Braun )

Tentação provoca emoção. Tem jeito não... ( Du )


Se não tem jeito...deixa rolar e adentrar corpo-mente-coração...se joga no abismo da canção. ( Flávia Braun )

Coração vagabundo solto poeta pelo mundo. Viaja sonhos, se distancia em eternos segundos, volta louco, tão criança e profundo para o porto seguro onde pode repousar o seu pouco em muito.( @monicacompoesia )


Cantemos juntas a mesma canção, em sintonia com as cordas vocais do querer sentir toda e qualquer emoção. Tão simples como a lua solitária, tão belo como o amanhecer - união em contradição. Almas de flores e versos, palavras unidas pelo coração, pelas nossas mãos. ( Du )


Mãos unidas em uma única missão: espalhar verso-amor. Juntos no amanhecer da criação, somos pura emoção . A criança-poeta brinca de criar seu caminhos coloridos em preto-branco. ( Flávia Braun )


Somos crianças cantando versos azuis... preto e branco resmungando saudade de amarelinha... ( Du )

3 comentários:

{ Du } at: 21 de janeiro de 2011 20:39 disse...

OMG... como não percebi ontem que escrevemos tão rápido e tão lindo assim? Fiquei engasgada de emoção com a nossa concepção conjunta do que é poesia!

{ Flávia Braun } at: 21 de janeiro de 2011 22:02 disse...

Me emocionei muito com esse post.
Gurias, tá maravilhoso demais poetar com todas vocês, e parir esses versos lindos.
Esse, com certeza, vai parar também no Palavras Ao Vento!!

{ rita schultz } at: 23 de janeiro de 2011 14:07 disse...

E fez-se a luz na pureza da poesia!

 
Customizado por Dulce Miller

Copyright © 2010 Nostra Dolce Vita