Keblinger

Keblinger

Poesia Que Embriaga e Liberta...

| sábado, 22 de janeiro de 2011

                                                    


Das xícaras de chá silvestre, a saudade solitária que rasura o papel com as lágrimas de palavras... ( Suzana Martins )


Chora de sorrisos a boca embriagada de versos em alma doce e apaixonada.( @monicacompoesia )


Sorri com letras suaves que lhe escorrem por entre os dedos e dão cor aos parágrafos de seu caderno-vida.( Flávia Braun )


Escrita silenciosa sedutora e maldita tatuada sem palavras na carne em chagas por versos despida. No céu da boca de estrelas palavras me confesso entrelaçada viva.( @monicacompoesia )


Sorvo mais três xícaras do puro chá poesia. Entro em transe com o efeito desse líquido-sangue-quente , é magia... ( Flávia Braun )

Magia do amor que repercute na canção que só nos teus ouvidos eu ouço... e canto versos liquidificados de saudade. ( Du )


São distancias aproximadas de vontade. Simples complexidade de rotas em fidelidade. Coração que procurando se versa de amor serenidade. Alquimica bebida de adormecida felicidade.
( @monicacompoesia )


E a essa mistura de sentimentos sabores o poeta se embebeda e exala poros afora palavras que enternecem e viciam. Poesia é vicio... ( Flávia Braun )


Distância comovida de afeição, corrompida, sem direção. Só sabe ver nas entrelinhas do sentir, do servir em taças de ilusão. Leva junto o coração, viciado na concepção do amor. ( Du )


Poesia é vicio, alucinógeno precipício, o inferno do paraíso, em risco, leve traço impreciso. Silencioso e angustiado grito. Um beijo mordido. Infinito. ( @monicacompoesia )


Grito que liberta a agonia que em si aprisiona. Poesia é um salto no abismo da imaginação e da paixão... Beijo que fica eterno na boca-poema. ( Flávia Braun )


Beijo molhado de lágrimas doces, feito nuvens formando imagens no céu do meu querer... Poesia é meu viver. ( Du )


Escrevo de me perder. ( @monicacompoesia )


Perdendo, me acho...nas entrelinhas é que vivo. Sou verso, mesmo que inverso... ( Flávia Braun )



7 comentários:

{ Suzana Martins } at: 22 de janeiro de 2011 22:28 disse...

Meninas, que cheirinho delicioso de chá e palavras!!!

Vocês estão demais!!

Adoooro!!!

Beijos

{ rita schultz } at: 23 de janeiro de 2011 14:11 disse...

Embriaguês de palavras, e distâncias, e precipícios, e comoção, e liberdade... E encontro! Paraíso na poesia.

{ Weslley M. Almeida } at: 23 de janeiro de 2011 22:03 disse...

Poetisas...
Perdi-me em meio de tanta poesia... - E quem disse que quero me encontrar... :]
Abraços p/ vcs!

{ Uni ver sos } at: 25 de janeiro de 2011 17:29 disse...

Olá!

Encontrei aqui uma antena chamada sensibilidade que capta as coisas simples e deliciosas da vida,

obrigada por partilharem conosco toda esta riqueza em palavras!


Beijos poéticos!!


Ester.~

{ simone } at: 25 de janeiro de 2011 20:19 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
{ simone } at: 25 de janeiro de 2011 20:22 disse...

coisa linda essas meninas tomando chá de poesia. Espero outras xícaras desses versos que embriagam a alma na luz da poesia.

{ Tatiana Kielberman } at: 27 de janeiro de 2011 19:38 disse...

Uau!!

Como não se encantar?

Beijos, queridas!

 
Customizado por Dulce Miller

Copyright © 2010 Nostra Dolce Vita