Keblinger

Keblinger

Na Dança das Palavras by @dullim e @suzannamartins

| terça-feira, 4 de janeiro de 2011
Du escreveu em rosa claro, a Suzana com o rosa mais escuro.

O encanto, a liberdade e o brilho são seus e se misturam em você, e eles a deixam leve e esta mistura transforma-se em brisa que espalha o cheiro das palavras e das emoções que a cada segundo são escritas.
É com beleza que as palavras correm com o vento e realizam o milagre da aproximação das mentes e dos corações que estão por aí, mas que também estão em mim, traduzidos pelos teus verbos e substantivos, infestados de sentimentos.
São sentimentalidades que brotam em corações desertos, transformando-os em oásis de pura alegria e contentamento. Naquele silêncio que só  você pode sentir, na música que toca como brisa suave que anda vagarosamente, surgindo em sua respiração e envolvendo naquela busca constante de formar canções em palavras concretas que parecem flutuar quando dedilhas  na vontade de escrever. Não tem  forma, nem frases feitas  nem destino e parecem  estar perdidas nos seus significados e em colocações confusas... E no vai e vem das letras o vento mistura  no céu nuvens que descrevem poemas, flores que cantam, pássaros que perfumam e ondas que transpiram luz.
Eu me perco na sua poesia e me encontro nas suas incertezas, que por muitas vezes são minhas também, numa sintonia quase calada,  velada de odores e sentidos, capaz de transformar qualquer fraqueza e dor em alegria que transpira afeto. Te vejo sempre onde não posso enxergar, te sinto na canção que me toca e nas nuvens que se afastam abrindo o céu azul, muito azul, me deixando inebriada de sensações mágicas de ilusão. E as palavras percorrem minhas veias como sangue que pulsa dando vida a idéias e letras que simplesmente jorram pelos dedos, que misturadas ao azul se transformam em aquarelas vivas que transmitem sentimentos.
Como  o sorriso sincero de uma criança,  as letras se unem em um infinito que eu tento traduzir mas não consigo. E então descrevo sentimentos que não têm verbos nem traduções, têm apenas colocações verdadeiras que nos transformam em pequenas seguidoras de poesias e músicas, em palavras que dançam no ritmo das batidas dos nossos corações.

Texto meu em parceria com minha irmãzinha do coração, Suzana Martins - fizemos a nossa dança das palavras -  foi publicado na Casa do Escritor no dia 19 de novembro de 2008.

 

3 comentários:

{ Suzana Martins } at: 4 de janeiro de 2011 08:30 disse...

Brinquei com o tempo agora, rs...

Beijos Duzita que amo!!

{ Tatiana Kielberman } at: 6 de janeiro de 2011 17:21 disse...

Texto lindo e repleto de sensibilidade!!!

Amo o jeito como vocês dançam com as palavras!

Beijos, amadas!

{ glória } at: 7 de janeiro de 2011 09:06 disse...

Encantadoras essas moçam que tocam palavras e elas se transformam em música, sinfonia de sensibilidades. Belo!

 
Customizado por Dulce Miller

Copyright © 2010 Nostra Dolce Vita